domingo, 5 de junho de 2011

Gênesis 30


1 Vendo Raquel que não dava filhos a Jacó, teve inveja de sua irmã, e disse a Jacó: Dá-me filhos, senão eu morro.


Ter filhos, era uma questão de dignidade, de honra, de sinal da bênção de Deus e de vida. Não ter filhos era um sinal de maldição divina, desprezo de todos e de morte. Por isso essa expressão tão forte de Raquel para Jacó.

Léia já tinha Rúben, Simeão, Levi e Judá. Raquel não tinha nenhum filho ainda pois era estéril (Gn 29:31)

Havia desprezo, disputa, inveja entre Léia e Raquel.

2 Então se acendeu a ira de Jacó contra Raquel; e disse: Porventura estou eu no lugar de Deus que te impediu o fruto do ventre?
3 Respondeu ela: Eis aqui minha serva Bila; recebe-a por mulher, para que ela dê à luz sobre os meus joelhos, e eu deste modo tenha filhos por ela.
4 Assim lhe deu a Bila, sua serva, por mulher; e Jacó a conheceu.
5 Bila concebeu e deu à luz um filho a Jacó.
6 Então disse Raquel: Julgou-me Deus; ouviu a minha voz e me deu um filho; pelo que lhe chamou Dã.
7 E Bila, serva de Raquel, concebeu outra vez e deu à luz um segundo filho a Jacó.
8 Então disse Raquel: Com grandes lutas tenho lutado com minha irmã, e tenho vencido; e chamou-lhe Naftali.
9 Também Léia, vendo que cessara de ter filhos, tomou a Zilpa, sua serva, e a deu a Jacó por mulher.
10 E Zilpa, serva de Léia, deu à luz um filho a Jacó.
11 Então disse Léia: Afortunada! e chamou-lhe Gade.
12 Depois Zilpa, serva de Léia, deu à luz um segundo filho a Jacó.
13 Então disse Léia: Feliz sou eu! porque as filhas me chamarão feliz; e chamou-lhe Aser.

14 Ora, saiu Rúben nos dias da ceifa do trigo e achou mandrágoras no campo, e as trouxe a Léia, sua mãe. Então disse Raquel a Léia: Dá-me, peço, das mandrágoras de teu filho.


"mandrágoras"


Há um gênero de plantas chamado "Atropa mandragora", que amadurece em maio. A fruta é do tamanho de uma ameixa, redonda, amarela, com uma polpa mole. Pertence à família da batata.
mandrágora
mandrágora

Na área do mar Mediterrâneo há três espécies de mandrágoras. Elas são plantas praticamente destituídas de caule, com grandes folhas dentadas e grandes raízes tipo tubérculo. As flores são coloridas desde o púrpura até o violeta pálido, ou mesmo branco, com corolas em formato de sino. A raiz é dupla, e, mediante uma vívida imaginação, tem o formato de um corpo humano, da cintura para baixo. Por esse motivo, várias lendas e superstições têm aparecido em tomo dessa planta. Supunha-se que o fruto poderia ajudar a mulher a conceber, além do que teria propriedades afrodisíacas. 
Por esse motivo, o fruto tem sido chamado de maçã do amor, mas os árabes chamam-na de maçã do diabo. Sua parenta próxima, a beladona (Atropa), produz a atropina, uma importante droga medicinal. 

Era uma planta afrodisíaca, alucinógenaanalgésica e narcótica.
15 Ao que lhe respondeu Léia: É já pouco que me hajas tirado meu marido? queres tirar também as mandrágoras de meu filho? Prosseguiu Raquel: Por isso ele se deitará contigo esta noite pelas mandrágoras de teu filho.
Raquel desejou intensamente obter aquelas frutas. Se elas eram realmente afrodisíacas, então sua mente estava ocupada com idéias freudianas acerca daquela noite. Se a fruta era concebida como algo que ajudava a mulher a conceber, então queria experimentá-la com essa finalidade. É evidente que ela não queria as frutas meramente por seu gosto. Havia um propósito por trás de seu desejo. 
As duas irmãs estavam apelando para elementos químicos em sua luta para ver quem geraria mais filhos. Elas estavam equivocadas sobre a questão. As mandrágoras não ajudam na concepção, mas talvez intensifiquem o desejo sexual.

"ele se deitará contigo esta noite pelas mandrágoras"


Raquel com sua beleza, havia conquistado todas as atenções sexuais de Jacó. Por isso mesmo, Léia a acusa de ter furtado seu marido (o que na verdade era das duas) e agora quer também as mandrágoras.


Parece que a segurança que tinha Raquel, leva-a a fazer um acordo com Léia: Fique com Jacó essa noite e dá-me as mandrágoras. Provavelmente ela tinha o plano de usá-las nas outras noites. 

A competição entre as duas, já era ridícula e agora desce ao cúmulo das superstições.

16 Quando, pois, Jacó veio à tarde do campo, saiu-lhe Léia ao encontro e disse: Hás de estar comigo, porque certamente te aluguei pelas mandrágoras de meu filho. E com ela deitou-se Jacó aquela noite.
17 E ouviu Deus a Léia, e ela concebeu e deu a Jacó um quinto filho.
18 Então disse Léia: Deus me tem dado o meu galardão, porquanto dei minha serva a meu marido. E chamou ao filho Issacar.
19 Concebendo Léia outra vez, deu a Jacó um sexto filho;
20 e disse: Deus me deu um excelente dote; agora morará comigo meu marido, porque lhe tenho dado seis filhos. E chamou-lhe Zebulom.
21 Depois. disto deu à luz uma filha, e chamou-lhe Diná.
22 Também lembrou-se Deus de Raquel, ouviu-a e a tornou fecunda.
23 De modo que ela concebeu e deu à luz um filho, e disse: Tirou-me Deus o opróbrio.
24 E chamou-lhe José, dizendo: Acrescente-me o Senhor ainda outro filho.
25 Depois que Raquel deu à luz a José, disse Jacó a Labão: Despede-me a fim de que eu vá para meu lugar e para minha terra.
26 Dá-me as minhas mulheres, e os meus filhos, pelas quais te tenho servido, e deixame ir; pois tu sabes o serviço que te prestei.

LABÃO FAZ UM NOVO PACTO COM JACÓ (v. 27-36)


27 Labão lhe respondeu: Se tenho achado graça aos teus olhos, fica comigo; pois tenho percebido que o Senhor me abençoou por amor de ti.


Em outras palavras, Labão estava dizendo a Jacó: "Fica comigo não porque te amo, mas porque você me abençoa".


28 E disse mais: Determina-me o teu salário, que to darei.

29 Ao que lhe respondeu Jacó: Tu sabes como te hei servido, e como tem passado o teu gado comigo.

30 Porque o pouco que tinhas antes da minha vinda tem se multiplicado abundantemente; e o Senhor te tem abençoado por onde quer que eu fui. Agora, pois, quando hei de trabalhar também por minha casa?



"o pouco que tinhas"

O pequeno rebanho de Labão era antes tão pequeno que sua jovem filha, Raquel, era capaz de tomar conta dele (Gn 29:9).

Ele tinha apenas um rebanho de ovelhas, mas agora era dono de vários rebanhos de ovelhas e de cabras. 

31 Insistiu Labão: Que te darei? Então respondeu Jacó: Não me darás nada; tornarei a apascentar e a guardar o teu rebanho se me fizeres isto:

32 Passarei hoje por todo o teu rebanho, separando dele todos os salpicados e malhados, e todos os escuros entre as ovelhas, e os malhados e salpicados entre as cabras; e isto será o meu salário.

Jacó propõe um acordo baseado nas características da genética dos animais. 

A questão é que nessa proposta de Jacó, essas características de animais, era a minoria. 
Como que Jacó vai escolher ficar com o mínimo depois de tantos anos trabalhando de "graça" e sendo enganado?

No Oriente, a maior parte dos rebanhos de ove­lhas compõe-se de cordeiros negros, ao passo que a maioria das cabras compõe-se de animais salpicados e malhados. Esses animais ficariam sendo de Labão e a minoria de Jacó. É uma lógica da genética.

Como que Jacó faz essa proposta?

33 De modo que responderá por mim a minha justiça no dia de amanhã, quando vieres ver o meu salário assim exposto diante de ti: tudo o que não for salpicado e malhado entre as cabras e escuro entre as ovelhas, esse, se for achado comigo, será tido por furtado.


A lealdade de Jacó nesse negócio.

34 Concordou Labão, dizendo: Seja conforme a tua palavra.

Lógico que Labão iria concordar.


35 E separou naquele mesmo dia os bodes listrados e malhados e todas as cabras salpicadas e malhadas, tudo em que havia algum branco, e todos os escuros entre os cordeiros e os deu nas mãos de seus filhos;

36 e pôs três dias de caminho entre si e Jacó; e Jacó apascentava o restante dos rebanhos de Labão.

Labão engana outra vez Jacó. Que espírito!

Jacó ficaria com a minoria e após o acordo, Labão tira de Jacó o seu "salário mínimo" e envia a 3 dias de distância aos cuidados de seus filhos. Que homem terrível!

"e Jacó apascentava o restante dos rebanhos de Labão"


Entendo que Jacó aceitou apascentar outra vez tudo o que era de Labão e sem sálario. 

Jacó era muito bobo ou muito esperto.

As circunstâncias e aparentes desvantagens, não anulam o pacto Abraâmico que envolvia a Jacó. Deus tinha dado promessas que Abraão e sua descendência iriam prosperar e se Deus deu a promessa, Ele cumpre.


Jacó mais uma vez entraga tudo nas mãos de Labão assim como Abraão entregou a decisão de onde ir nas mãos de seu sobrinho Ló. No lugar deles, faríamos o mesmo?


A ESPERTEZA DE JACÓ (v. 37-43)


37 Então tomou Jacó varas verdes de estoraque, de amendoeira e de plátano e, descascando nelas riscas brancas, descobriu o branco que nelas havia;


Varas verdes de:



1. Álamo

Álamo

לבנה libneh = choupo (Gênero de árvores da família das salicáceas, geralmente de grande porte como o álamo) branco, uma árvore que expele uma resina branca e leitosa.

Comum na Ásia Menor, Síria e Galiléia.
Produz uma essência aromática usada como incenso.
É uma árvore que pode atingir 18 metros de altura.

Há poucas menções de álamo na Bíblia.
Aqui vemos como Jacó utilizou a madeira do álamo.
Usaram o álamo para ofertas feitas debaixo de suas sombras (Oséias 4:12). 
Bosques de álamos eram usados na adoração pagã, e, evidentemente, essa adoração incluía a queima de incenso debaixo das árvores (Isaías 65:3).

Supertição?
Fatores genêticos?
A bênção de Deus?

O certo é que Jacó fez e deu certo.

Símbolos do álamo: Perfume, altura, tamanho, cumprimento, adoração.

2. Amendoeira ou aveleira


Amendoeira
לוז luwz provavelmente de origem estrangeira. Amendoeira, madeira de amendoeira.
No hebraico, o nome significa despertada, porque florescia bem cedo no ano e isso lembra que Deus cumpre prontamente Suas promessas (Jeremias 1:11, 12). 

Por suas muitas flores, ela é altamente bela e ornamental. 
Sua beleza tem inspirado a decoração em trabalhos de entalhe, onde a amêndoa é retratada. Também pare­ce ter sido a origem de um óleo valioso.
Na Palestina, ela floresce já no mês de janeiro. As flores são róseas, e, algumas vezes, brancas.

Símbolos da amendoeira: Despertar, primavera, flores, beleza e ornamento, unção com óleo.

3. Plátano
Platanus orientalis

ערמונּ `armown
Armom, significa liso ou nu, designação essa derivada do fato de que a árvore perde a sua casca externa.

Há um plátano verdadei­ro, das planícies da Palestina, o Platanus orientalis. 
Essa espécie pode ser acha­ da especialmente nos sopés do monte Líbano e também ao longo de todos os cursos de água da Síria e da Mesopotâmia

É árvore de grande porte e faz muita sombra, além de ser muito valorizada. 
Pode atingir mais de 50 m de altura, com um tronco bem grosso. 
A madeira do plátano é muito usada no fabrico de móveis, porquanto pode adquirir um acabamento lustroso.
O cedro do Líbano é posto em comparação com o plátano, por causa de sua imensa altura. 

Símbolos do plátano: Grande, abrigo, altura, valor.

Jacó toma varas verdes dessas três árvores para iniciar seu negócio.
Álamo: Perfume, altura, tamanho, cumprimento, adoração.
Amendoeira: Despertamento, primavera, flores, beleza e ornamento, unção com óleo.
Plátano: Grande, abrigo, altura, valor.

"descascando nelas riscas brancas, descobriu o branco que nelas havia"


Deixou as varas com listas, explorando o que havia dentro delas. 

Acredito que podemos tomar lições práticas profundas de como fazer nossos negócios, mesmo quando há um "Labão" querendo enganar-nos. Pense mais sobre isso e em Deus procure aplicações para sua vida.

38 e as varas que descascara pôs em frente dos rebanhos, nos cochos, isto é, nos bebedouros, onde os rebanhos bebiam; e conceberam quando vinham beber.
39 Os rebanhos concebiam diante das varas, e as ovelhas davam crias listradas, salpicadas e malhadas.
40 Então separou Jacó os cordeiros, e fez os rebanhos olhar para os listrados e para todos os escuros no rebanho de Labão; e pôs seu rebanho à parte, e não pôs com o rebanho de Labão.
41 e todas as vezes que concebiam as ovelhas fortes, punha Jacó as varas nos bebedouros, diante dos olhos do rebanho, para que concebessem diante das varas;
42 mas quando era fraco o rebanho, ele não as punha. Assim as fracas eram de Labão, e as fortes de Jacó.

43 E o homem se enriqueceu sobremaneira, e teve grandes rebanhos, servas e servos, camelos e jumentos.



Bibliografia:

* Strong's Numbers Bible.
* O AT Interpretado Versículo por Versículo - Norman Champlin - Editora Candeia.

* Tempo com a Palavra - JLS.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Estude conosco o Evangelho de Marcos

Começamos hoje (05/05/2019) Participe conosco desse maravilhoso estudo! Contato: jlseni@me.com Whats: +31 6 1665 8910 Jor...