segunda-feira, 6 de junho de 2011

Onde esta o Cordeiro?

Gênesis 22:7, 8

7 Então falou Isaque a Abraão seu pai, e disse: Meu pai! E ele disse: Eis-me aqui, meu filho! E ele disse: Eis aqui o fogo e a lenha, mas onde está o cordeiro para o holocausto?
8 E disse Abraão: Deus proverá para si o cordeiro para o holocausto, meu filho. Assim caminharam ambos juntos.

João 1:29
No dia seguinte João viu a Jesus, que vinha para ele, e disse: Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo.

A história do meu Senhor Jesus me "paralisa"! Posso ficar contemplando a cruz, impactado com tanto amor por mim. Não tenho respostas, não tenho argumentos, não tenho perguntas!

Gênesis 22, não me deixa avançar; tenho que parar ali cada vez, refletir, contemplar e adorar o Cordeiro - Jesus Cristo.

A promessa de Deus se cumpriu na vida de Abraão. Ele recebe o seu "riso", sua alegria. Sua vida agora é "completa"! Mas em um lindo dia Abraão escuta o Senhor dizendo: "Toma agora teu único filho Isaque, a quem amas e oferece-o a mim".

O que? Deus me deu e como agora Ele vai pedir de mim a minha "alegria"? Poderia ser essa a pergunta de Abraão, mas ele simplesmente obedece ao Senhor e no dia seguinte sai bem cedo com Isaque, com fogo e cutelo. Levou tudo? Parece que não. Onde está o Cordeiro?

Isaque pergunta pelo cordeiro e Abraão responde que "Deus proverá".

Passei um tempo de minha vida procurando o Cordeiro. Marcelo Vieira; obrigado por apresentar-me Jesus! O encontrei quando tinha 11 anos de idade.

Jesus veio a esse mundo e quando se apresentou no Jordão, João disse as seguintes palavras: "Eis aí o Cordeiro de Deus" (João 1:29). Eu o encontrei e Ele "tirou o meu pecado", me libertou, me salvou, me perdoou. Sou grato a Ele para sempre.

Os anos vão passando e a gratidão em meu coração sempre esta presente pela entrega e provisão desse Cordeiro. Deus me amou e deu Seu Filho para morrer em meu lugar na cruz!

Um dia tive que aprender algo sobre "entrega" e "sacrifício". Com a Rutinha, tínhamos o sonho de termos um filho. Ela ficou gravida do Benjamim. Isso aconteceu na Holanda. Débora era pequena e sonhava com a chegada de seu irmão. No dia 5 de maio de 2000, nasceu o nosso Isaque, nossa boca se encheu de "riso". Três dias depois o Benjamim começou a passar mal, e no caminho ao hospital, veio ao meu coração um pensamento: "Estou indo para o Moriá".

Da sexta pela noite até a quarta, ficamos no "monte do sacrifício, da dor e da entrega", mas sentíamos que o Senhor estava ali conosco. Na quarta-feira, nosso filho descansou no Senhor. Como entender? Como explicar? Não há palavras!

Quando saímos daquele hospital com nosso filho sem vida, sentimos que estávamos descendo do monte sem o Benjamim, mas com o Cordeiro - Jesus Cristo - que Deus providenciou para nós.

Achamos a Jesus em meio de nossa dor; achamos o Cordeiro de Deus.

Os anos tem passado e em nossos corações ficou a marca daquela profunda experiência e lição de entrega e gratidão.

Que tipo de cristianismo vivemos? O que ensina que só recebemos e recebemos? Não há nada para dar, para sacrificar? Você permaneceria firme na fé se Deus pedisse o seu Isaque?  

Podemos perder tudo, mas não podemos perder o Cordeiro!

A baixo coloquei um clipe lindo e a letra dessa música é profunda. Veja e ouça e pense no Cordeiro.

Deus providenciou para nós o Cordeiro!





Eis o Cordeiro

Andando pela estrada
Para Jerusalém 
Chegou a hora do sacrifício 
de novo
Meus dois filhos pequenos
Caminham (ao lado) comigo pela estrada
Eles vieram
Para vigiarem o cordeiro
Eles dizem
Pai, pai
O que nós vamos ver lá
Há muita coisa que nós não entendemos
Então falei para eles de Moisés
e do pai Abraão
e falei as crianças para
vigiarem o cordeiro
Haverá muita gente
Em Jerusalém hoje
Nós precisamos garantir que o cordeirinho
não fuja
e falei de Moises
e do pai Abraão
E falei as crianças
Para vigiarem o cordeiro
Quando chegamos à cidade
Vi que havia algo errado
Não havia adoradores alegres ali
Nem filhos desses adoradores
E fiquei ali
Com meus filhos
Em meio a homens irados
Eu ouvia a multidão gritar
Vamos crucificá-Lo
Tentamos sair da cidade
Mas não conseguimos
Fui forçado a representar
Um papel que eu não queria
Por que nesse dia homens, foram condenados a morrer?
e Por que estávamos ali?
Onde em breve eles morreriam
Eu vi e disse
Eles continuam vindo
O primeiro pediu misericórdia
E o povo não o concedeu
O segundo era violento
Ele estava gritando alto
Berrando para a multidão ( eu pude escutar nos meus ouvidos sua voz irada)
Berrando para a multidão
Alguém disse
Ali está Jesus
Eu não acredito nos meus olhos
Um homem que açoitaram tanto
Que mal parecia vivo
Corriam sangue do seu corpo
Por cauda dos ferimentos
E descendo pela cruz
E caindo no chão
Eu vi a luta dele
E vi quando Ele caiu
A cruz caiu sobre suas costas
E a multidão gritava
Neste momento senti agonia
Neste momento percebi a perda
Um soldado romano segurou a minha mão e disse
Você carrega a cruz dele
A principio tentei resistir
Mas a mão dele me forçou
Então me ajoelhei e peguei
A cruz do Senhor
Eu a coloquei no ombro
E fomos indo pela rua
O sangue que dele derramava
Corria no meu rosto
Eles nos conduziram para o Golgota 
Eles pregaram cravos
Profundo em seus pés e mãos
E na cruz
Eu ouvi Ele dizer
Pai perdoa-os
Eu nunca vi tanto amor
nos olhos de ninguém 
Em Tuas mãos entrego o meu espírito?
Ele orou
E então morreu
Parecia que um ano se passara
Perdi a noção do tempo
Senti uma mão pequenina
Que se segurava a minha
Meus filhos ficaram lá chorando
E ouvi o mais velho dizer
Pai por favor perdoa-nos
O cordeiro
fugiu
Papai
O que nos vimos aqui
Ha muita coisas que nos não entendemos
Eu os peguei nos braços
E nos viramos para a cruz
E disse
Meus filhos queridos
Eis o Cordeiro
(Ray Boltz)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Nova Turma - Curso Prumo Divino