quarta-feira, 15 de junho de 2011

Sacrificando meu riso a Deus

Gn 22:1-12



Introdução



Você quer ter uma fé firme em Deus? Então necessita ser provado!



Em Gn 12 vejo Abraão sendo provado em ter que escolher entre Deus ou seu pai (seu passado).
Em Gn 22 encontro Abraão sendo provado em ter que escolher entre Deus ou seu filho (seu futuro).



Quantas vezes acontece algo parecido em sua vida? Quantas vezes temos que decidir entre Deus e algo que gostamos ou amamos muito?



Vamos juntos analisar a situação que Abraão passou e ver o que podemos tirar de lições para nossa vida pessoal. 



I.              A PROVA DO SACRIFÍCIO - “provou Deus a Abraão” (v.1)



Veja o pedido de Deus: “Toma o teu filho Isaque e oferece-o”

.
Deus utilizou três verdades para fortalecer a fé de Abraão para este momento.


a.       Grandes promessas.
b.       
Visões claras.

c.        Provas.



Algumas pessoas tem a dificuldade de diferenciar prova de tentação. 
A prova nos aproxima de Deus. Ou seja, vem de Deus. A tentação já é bem diferente. Afasta-nos de Deus vindo do diabo.



A palavra prova no hebraico é “Tsarap” e significa “refinar, comprovar, fundir, refinar através do sofrimento e prova intensa do fogo. 

Pois então, creio que ficou claro a diferença e podemos entender bem que o que aconteceu aqui com Abraão foi um trato de Deus, foi um pedido de Deus.
 Nesta situação vejo a Abraão vivendo a maior de todas as provas de sua vida. Também em um conflito entre amor paternal e obediência a Deus. Foi uma prova divina, inesperada e intensa. Parece que Deus estava contra si mesmo, fé contra fé e promessa contra ordem.


Como é difícil entender todas as coisas que acontece em nossas vidas!
 Você pode pensar por um momento em situações que tem vivido? Consegue respostas para tudo? Não, imagino que como eu, você também não consegue explicar todas as coisas.



Tenho mais uma pergunta: Para que serve a prova?
 Tenho em minha experiência pessoal e no conhecimento da Palavra chegado a algumas conclusões:



• Não serve para desviar-nos de Deus nem para amaldiçoá-lo.

• Serve para demonstrar a sua obediência a Deus.

• Serve para seu crescimento spiritual.

• Serve para mostrar onde Deus esta em seu coração (v.12)
.
• Serve para fortalecer a fé.

• Serve para formar seu caráter.



Você está sendo provado?
 Qual está sendo o resultado de suas provas?

 No tempo da prova, Deus espera nossa disposição para abrir mão.
Mais uma vez menciono a diferença entre prova e tentação. Na tentação você não pode ceder nunca. Já na prova, Deus pede disposição para abrir mão e provar que Ele tem o primeiro lugar em seu coração.



II.            DISPOSIÇÃO PARA SACRIFICAR (v.1, 3)


O que significa estar disposto? É dizer “eis-me aqui” sem saber para o que.

 “Eis-me aqui”, 
“se levantou de madrugada”

.
Disposição é também diligência e disposição para fazer o que Deus disse.


Abraão preparou tudo para o sacrifício sem esquecer-se de nada.


Uma pessoa faz algo com todo cuidado e detalhes quando é do seu agrado. Abraão fez algo que não era do seu agrado e interesse pessoal, mas sabia que era de Deus.


Você tem disposição para ser abençoado por Deus?
 Você tem disposição para ser provado por Deus?

 Na prova veio a disposição, e na disposição o sacrifício.



III.          SACRIFICANDO MEU ISAQUE

Quais eram as dificuldades de Abraão para sacrificar?



Encontro 4 motivos:



1. Era contrário à lei de Deus (Gn 9:5, 6) que proibia o homicídio.
 Então ele tinha que lutar   
    contra a própria razão e lógica.

2. Isaque tinha que morrer e era ele, o pai que deveria dar-lhe a morte.

3. Como explicar isto para Sara?

4. Era o precioso e único filho da promessa.



Se Deus está pedindo que sacrifique algo, abra mão de algo, soltar ou desprender-se de algo em seu coração; é bem provável que em sua mente tenha se levantado muitos “motivos lógicos” para não fazer. 
Coloque de lado sua lógica humana e obedeça a Deus! 



O que você tem que sacrificar?

 Não seus bezerros (Sal 50:9), ou seja, o de sempre; mas oferece o que você mais ama para provar que Deus está em primeiro lugar em seu coração. Oferece o seu riso a Deus.


Abraão já tinha sacrificado em seu coração a Isaque. 

Como se chama o seu Isaque? Identifique-o agora e sacrifique-o.



Onde você tem que sacrificar? (v.4, 5)



Deus disse para Abraão que fosse para o monte Moriá (3 dias de caminho, 80 km). Suficiente tempo para reflexionar e até desistir. Abraão venceu o tempo, sua lógica e quando chegou perto do lugar do sacrifício imagino o seu coração! Meu Deus, que difícil! 



“Vendo o lugar de longe” (v.4)

Provavelmente você considera que tem alguns dias para abrir mão do que Deus está pedindo-lhe, mas chegará o momento e pode ser logo onde poderá ver o lugar, saber que é o momento, que tem que decidir e que não pode descer do “Moriá” sem esta definição em seu coração.

 

“Chegaram no lugar” (v.9)

Agora já chegou no lugar. Este é o seu Moriá! Este é o momento.


Deus pode estar falando em seu coração poderosamente enquanto lê  esta mensagem e dizendo: “Não corra mais, não deixe mais para amanhã. Hoje quero uma definição em seu coração”.  



Quando a convicção está viva de que é o momento, você necessita saber o modo ou maneira de sacrificar (v.5).


A resposta de Deus para Abraão foi em holocausto. Algo totalmente oposto à sua fé.



“Deixou seus servos a certa distância”

Deixe a todos a uma distância. Este momento é somente entre Deus e você!

 Não pode haver mais pessoas entre você, Deus e o altar.
 Sacrificar é uma atitude totalmente pessoal.



“iremos, adoraremos e voltaremos”

Eu e o que tenho que sacrificar iremos para adorar, para definir quem é Senhor em minha vida e voltaremos. Voltaremos? Sim; eu, meu coração totalmente para Deus e Ele mesmo.  



Abraão foi cuidadoso nos detalhes para sacrificar (v.6-9)

Quantas revelações há aqui!!!


• Lenha sobre Isaque. Vejo a cruz de Cristo sobre o que rouba o lugar de Deus em seu    
      coração.

• Cutelo e fogo com Abraão. Vejo a ferramenta em sua mão chamada decisão. É você que 
  tem que sacrificar seu “Isaque”. É uma prova de fogo realmente!

• Isaque sobre o altar. Vejo que este é o lugar que deve estar o que Deus está pedindo de       
  você e de mim.

• Isaque amarrado. Vejo que não deve escapar o que deve ser sacrificado. Não podemos    
   voltar atrás ou mudar de idéia. Amarre o que Deus está pedindo-lhe através das cordas do     
   sacrifício e disposição em seu coração.



Quem era “Isaque” para Abraão? Qual é o seu Isaque?

 Fico pensando nas características de um “Isaque”:

      ·        Seu filho (promessa)
      ·        Seu único (não havia outro)
      ·      
 A quem ama (coração pegado)

      ·        Isaque (sua alegria). 

“Dá-me o que te faz feliz”


     O que você precisa sacrificar hoje no altar de Deus?

Deus nos pede e quando entregamos, Ele pode nos devolver. Mas nem sempre. A questão não é se devolve ou não e sim saber se Ele é o Senhor absoluto em minha vida ou eu ainda estou agarrado em algum “galho”. 



Sabe o que tenho descoberto? Nem tudo alcançamos como queremos. Podemos ter fé, mas a mesma fé em Deus não significa que a resposta dele será como queremos. Leia com atenção Hebreus 11:1-34 que diz que pela fé estes irmão alcançaram muitas coisas, mas em Hebreus 11:35-39 diz que pela mesma fé outros irmãos não alcançaram o que provavelmente desejavam. Aí está a prova da fé e a disposição em sacrificar nosso riso a Deus e continuar servindo-O com todo nosso coração.



CONCLUSÃO



Minha oração é que o Senhor lhe dê força para que você desça o cutelo agora sobre seu Isaque. Pode dar-te muita dor, mas é necessário (v.10).



Por que Abraão não teve dúvida de sacrificar seu filho? Porque seu coração ele já tinha sacrificado. 



Quero terminar está mensagem compartindo que tenho experimentado em minha própria vida, sacrificar meu “Isaque” a Deus.



Lembro-me que no ano de 1996 na Espanha eu defendia meu ministério e visão para alcançar um grupo étnico na África, mais que meu Senhor Jesus. Sabe o que aconteceu? O Senhor me disse para levar à cruz minha visão e chamado. Levei e até hoje não voltou para mim, mas não perdi meu Senhor.



Em 2000, nasceu o filho da minha destra, meu herdeiro, meu Benjamim. Depois de alguns dias de muita alegria com a chegada de nosso Ben, surpreendentemente me vi subindo o monte Moriá de um hospital onde o médico disse que não havia solução para meu filho pois seu coração não tinha sido totalmente formado. Deus falou literalmente comigo dizendo: “Estou contigo aqui no seu Moriá, você quer abrir mão do filho de minha destra?” Que pai consegue dizer sim? Logicamente que não, era meu herdeiro, meu filho amado que tanto tínhamos esperado. Mas agora não tinha saída, eu tinha que abrir mão juntamente com minha esposa. O duro cutelo desceu em meu coração e decidimos juntos: Senhor, faça Sua vontade e tivemos que descer do nosso Moriá sem nosso Isaque e dizendo como disse Jó: “O Senhor deu, o Senhor tomou; louvado seja o nome do Senhor”.



Em minha experiência de prova de fé, tenho entendido que servir a Deus não está ligado diretamente no que Ele pode fazer por nós ou não, mas em nossa disposição em abrir mão de tudo e tê-lo em primeiro lugar em nosso coração.



Você está resistindo entregar o seu Isaque no altar da renuncia? Ofereça hoje seu “riso” ao Senhor.

JLS

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Nova Turma - Curso Prumo Divino