segunda-feira, 4 de julho de 2011

Gênesis 11.1-32


A torre de Babel (Gn 11.1-9)

1 Ora, em toda a terra havia apenas uma linguagem e uma só maneira de falar. 
2 Sucedeu que, partindo eles do Oriente, deram com uma planície na terra de Sinar; e habitaram ali. 
3 E disseram uns aos outros: Vinde, façamos tijolos e queimemo-los bem. Os tijolos serviram-lhes de pedra, e o betume, de argamassa. 
4 Disseram: Vinde, edifiquemos para nós uma cidade e uma torre cujo tope chegue até aos céus e tornemos célebre o nosso nome, para que não sejamos espalhados por toda a terra. 
5 Então, desceu o SENHOR para ver a cidade e a torre, que os filhos dos homens edificavam; 
6 e o SENHOR disse: Eis que o povo é um, e todos têm a mesma linguagem. Isto é apenas o começo; agora não haverá restrição para tudo que intentam fazer. 
7 Vinde, desçamos e confundamos ali a sua linguagem, para que um não entenda a linguagem de outro. 
8 Destarte, o SENHOR os dispersou dali pela superfície da terra; e cessaram de edificar a cidade. 
9 Chamou-se-lhe, por isso, o nome de Babel, porque ali confundiu o SENHOR a linguagem de toda a terra e dali o SENHOR os dispersou por toda a superfície dela.

Descendentes de Sem (Gn 11.10-32)

10 São estas as gerações de Sem. Ora, ele era da idade de cem anos quando gerou a Arfaxade, dois anos depois do dilúvio; 
11 e, depois que gerou a Arfaxade, viveu Sem quinhentos anos; e gerou filhos e filhas. 
12 Viveu Arfaxade trinta e cinco anos e gerou a Salá; 
13 e, depois que gerou a Salá, viveu Arfaxade quatrocentos e três anos; e gerou filhos e filhas. 
14 Viveu Salá trinta anos e gerou a Héber; 
15 e, depois que gerou a Héber, viveu Salá quatrocentos e três anos; e gerou filhos e filhas. 
16 Viveu Héber trinta e quatro anos e gerou a Pelegue; 
17 e, depois que gerou a Pelegue, viveu Héber quatrocentos e trinta anos; e gerou filhos e filhas. 18 Viveu Pelegue trinta anos e gerou a Reú; 
19 e, depois que gerou a Reú, viveu Pelegue duzentos e nove anos; e gerou filhos e filhas. 
20 Viveu Reú trinta e dois anos e gerou a Serugue; 
21 e, depois que gerou a Serugue, viveu Reú duzentos e sete anos; e gerou filhos e filhas. 
22 Viveu Serugue trinta anos e gerou a Naor; 
23 e, depois que gerou a Naor, viveu Serugue duzentos anos; e gerou filhos e filhas. 
24 Viveu Naor vinte e nove anos e gerou a Tera; 
25 e, depois que gerou a Tera, viveu Naor cento e dezenove anos; e gerou filhos e filhas. 
26 Viveu Tera setenta anos e gerou a Abrão, a Naor e a Harã. 
27 São estas as gerações de Tera. Tera gerou a Abrão, a Naor e a Harã; e Harã gerou a Ló. 
28 Morreu Harã na terra de seu nascimento, em Ur dos caldeus, estando Tera, seu pai, ainda vivo. 29 Abrão e Naor tomaram para si mulheres; a de Abrão chamava-se Sarai, a de Naor, Milca, filha de Harã, que foi pai de Milca e de Iscá. 
30 Sarai era estéril, não tinha filhos. 
31 Tomou Tera a Abrão, seu filho, e a Ló, filho de Harã, filho de seu filho, e a Sarai, sua nora, mulher de seu filho Abrão, e saiu com eles de Ur dos caldeus, para ir à terra de Canaã; foram até Harã, onde ficaram. 
32 E, havendo Tera vivido duzentos e cinco anos ao todo, morreu em Harã.

Volta e resolva as coisas

Escute essa mensagem clicando AQUI