quinta-feira, 28 de julho de 2011

Gênesis 34


DINÁ E OS SIQUEMITAS

1 Diná, filha de Léia, que esta tivera de Jacó, saiu para ver as filhas da terra.

"Diná" דינה Diynah = "julgamento".

"saiu para ver as filhas da terra"

Entende-se que Diná já tinha amigas naquele lugar e saiu para visita-las.

Entre os versículos 1 e 2; há algo que precisamos tomar muito cuidado.
Diná foi sair com suas amigas, o que aparentemente não havia nada de errado.

Temos que pensar bem, principalmente os jovens, pois podemos sair aqui ou ali e com amigos e ainda dizer que não há nenhum pecado nisso e não há mesmo, mas pode estar ali algum "Siquém" que quer oferecer seus "ombros" e aí nasce o problema.

Em outras palavras, se eu não estivesse em lugares ou ambientes onde um "Siquém" tem autoridade de atuar, muitas coisas não aconteceriam.

Uma coisa é ter um "Siquém" em meu território e outra é eu estar no território dele.

Um alerta:
Provérbios 27:12
O avisado vê o mal e esconde- se; mas os simples passam e sofrem a pena.

2 Viu-a Siquém, filho de Hamor o heveu, príncipe da terra; e, tomando-a, deitou-se com ela e humilhou-a.

"Siquém" שׂכמּ Sh@kem, grego συχεμ = "costas" ou "ombro".

"tomando-a, deitou-se com ela e humilhou-a".

Entende-se que a tomou a força e houve um estupro.
A desonrou com tudo isso e também tirou sua virgindade.
Foi muito ruim e forte o que aconteceu.

3 Assim se apegou a sua alma a Diná, filha de Jacó, e, amando a donzela, falou-lhe afetuosamente.

"se apegou" דבק dabaq = grudar-se a, colar, permanecer junto, unir-se, manter-se próximo, juntar-se a, permanecer com, seguir de perto, alcançar, permanecer com, ser reunido, levar a unir-se a, perseguir de perto.

Esse grudar ou colar, torna-se uma possessividade doentia, a um controle e até manipulação. É a sensação de que agora "me pertence", quando na verdade não.

"amando a donzela, falou-lhe afetuosamente"

Parece que aqui e mesmo depois de um terrível pecado, os sentimentos começam a tomar um rumo bom.
Há um perigo nesse sentimento que é esquecer como começou o relacionamento e ignorar as conseqüências do que fizeram. No Brasil seria dizer que tudo "acaba em pizza". O que vale agora é que o sentimento é bom e até já há planos para casamento.

Tudo bem, tudo bem; mas e as conseqüências? É isso que esquecemos!
No caso de Siquém, é só ler o capítulo e ver que um estupro gerou a morte de muita gente inclusive a dele.

Siquém comprou fiado, mas a conta para pagar chegou depois.
O ser humano peca e até diz: "Esta vendo, não aconteceu nada, esta tudo bem". Cuidado, a conta para pagar vai chegar.

Romanos 6:23
Porque o salário (pagamento) do pecado é a morte.

Não temos como pagar a conta do pecado, mas Jesus sim. Por isso precisamos de entregar tudo a Ele, não somente para resolver essa questão, mas para não voltar mais a ela e desfrutar de uma vida abundante no Senhor.

Romanos 6:23
Porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna, por Cristo Jesus, nosso Senhor.

 4 Então disse Siquém a Hamor seu pai: Consegue-me esta donzela por mulher.
5 Ora, Jacó ouviu que Siquém havia contaminado a Diná sua filha. Entretanto, estando seus filhos no campo com o gado, calou-se Jacó até que viessem.
6 Hamor, pai de Siquém, saiu a fim de falar com Jacó.

7 Os filhos de Jacó, pois, vieram do campo logo que souberam do caso; e entristeceram-se e iraram-se muito, porque Siquém havia cometido uma insensatez em Israel, deitando-se com a filha de Jacó, coisa que não se devia fazer.

"insensatez" נבלה n@balah = insensato, desatino, desgraçadamente tolo, referindo-se a imoralidade, ações profanas, desgraça desdenhosa.

"coisa que não se devia fazer"

Não se devia fazer nem naquele tempo e nem atualmente.

8 Então falou Hamor com eles, dizendo: A alma de meu filho Siquém afeiçoou-se fortemente a vossa filha; dai-lha, peço-vos, por mulher.
9 Também aparentai-vos conosco; dai-nos as vossas filhas e recebei as nossas.
10 Assim habitareis conosco; a terra estará diante de vós; habitai e negociai nela, e nela adquiri propriedades.

Pelo menos no texto Hamor não pede perdão pelo o que o filho fez. Era normal para eles fazer o que Siquém fez?
Veio na boa pedir a mão da moça em casamento a seu filho.

11 Depois disse Siquém ao pai e aos irmãos dela: Ache eu graça aos vossos olhos, e darei o que me disserdes;
12 exigi de mim o que quiserdes em dote e presentes, e darei o que me pedirdes; somente dai-me a donzela por mulher.

Agora é a vez de Siquém falar na reunião e parece que não pede perdão pelo que fez.
Não fala da primeira parte da história que a tomou a força, deixou-se com ela e a humilhou (v. 2).

O ENGANO

13 Então os filhos de Jacó, respondendo, falaram enganosamente a Siquém e a Hamor, seu pai, porque Siquém havia contaminado a Diná, sua irmã,

14 e lhes disseram: Não podemos fazer isto, dar a nossa irmã a um homem incircunciso; porque isso seria uma vergonha para nós.

"seria uma vergonha para nós"
Na verdade, a terceira grande vergonha.

1a vergonha = A desonra da irmã.
2a vergonha = Hamor e Siquém virem a eles para pedir Diná em casamento.
3a vergonha = Dar sua irmã a um homem e povo incircunciso.

A CONDIÇÃO

15 Sob esta única condição consentiremos; se vos tornardes como nós, circuncidando-se todo varão entre vós;
16 então vos daremos nossas filhas a vós, e receberemos vossas filhas para nós; assim habitaremos convosco e nos tornaremos um só povo.
17 Mas se não nos ouvirdes, e não vos circuncidardes, levaremos nossa filha e nos iremos embora.
18 E suas palavras agradaram a Hamor e a Siquém, seu filho.

19 Não tardou, pois, o mancebo em fazer isso, porque se agradava da filha de Jacó. Era ele o mais honrado de toda a casa de seu pai.

Siquém era o mais honrado e respeitado em sua família? Imagina o que não era honrado.
Se com toda a honra ele fez o que fez com Diná.

20 Vieram, pois, Hamor e Siquém, seu filho, à porta da sua cidade, e falaram aos homens da cidade, dizendo:
21 Estes homens são pacíficos para conosco; portanto habitem na terra e negociem nela, pois é bastante espaçosa para eles. Recebamos por mulheres as suas filhas, e lhes demos as nossas.
22 Mas sob uma única condição é que consentirão aqueles homens em habitar conosco para nos tornarmos um só povo: se todo varão entre nós se circuncidar, como eles são circuncidados.

23 O seu gado, as suas aquisições, e todos os seus animais, não serão nossos? consintamos somente com eles, e habitarão conosco.

24 E deram ouvidos a Hamor e a Siquém, seu filho, todos os que saíam da porta da cidade; e foi circuncidado todo varão, todos os que saíam pela porta da sua cidade.

A TRAIÇÃO DE SIMEÃO E LEVI

25 Ao terceiro dia, quando os homens estavam doridos, dois filhos de Jacó, Simeão e Levi, irmãos de Diná, tomaram cada um a sua espada, entraram na cidade com toda a segurança e mataram todo varão.
26 Mataram também ao fio da espada a Hamor e a Siquém, seu filho; e, tirando Diná da casa de Siquém, saíram.
27 Vieram os filhos de Jacó aos mortos e saquearam a cidade; porquanto haviam contaminado a sua irmã.
28 Tomaram-lhes os rebanhos, os bois, os jumentos, e o que havia tanto na cidade como no campo;
29 e todos os seus bens, e todos os seus pequeninos, e as suas mulheres, levaram por presa; e despojando as casas, levaram tudo o que havia nelas.

Chegou a conta para pagar!
O salário do pecado é a morte. Que terrível.

30 Então disse Jacó a Simeão e a Levi: Tendes-me perturbado, fazendo-me odioso aos habitantes da terra, aos cananeus e perizeus. Tendo eu pouca gente, eles se ajuntarão e me ferirão; e serei destruído, eu com minha casa.
31 Ao que responderam: Devia ele tratar a nossa irmã como a uma prostituta?

Volta e resolva as coisas

Escute essa mensagem clicando AQUI