sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

Quando nos falta o último e maior apoio


Poderia falar do papel do marido e de como muitas mulheres sofrem por terem maridos tolos como era por exemplo o caso de Abigail com Nabal. Como o texto que estou compartindo refere-se à mulher; então vou concentrar-me no texto escrevendo sobre a mulher de Jó.

Jó 2

9 Então, sua mulher lhe disse: Ainda conservas a tua integridade? Amaldiçoa e a Deus e morre.

“..., sua mulher lhe disse: ...”

Na vida de um homem, tem palavras que pesam.
O chefe, o professor, o companheiro de trabalho, a mãe, pai e amigos; tem sua influência quando dizem alguma coisa.
Mas acredito que a palavra da esposa é a que tem mais peso e influência na vida de um marido.

Além do peso; era o último apoio que Jó tinha. Sem os filhos, totalmente miserável e doente; a esposa era sua única e última companhia e ele contava.

Quando me casei, fiz uma aliança de ser fiel à minha esposa na saúde e na doença, na prosperidade e na escassez e ela fez o mesmo. Sou muito agradecido a Deus por ela, pois nesses 21 anos de casamento, tenho visto como ela tem sido bênção na minha vida e juntos mantemos essa aliança com a ajuda do Senhor.

Quantos casamentos tenho feito e em quantos tenho participado dizendo e ouvindo as mesmas palavras: Você promete ser fiel na alegria e na tristeza, na riqueza e na pobreza, na saúde e na enfermidade? A resposta: SIM. Que bonito!
Mais bonito que essa resposta é ver que na hora da verdade essa palavra se torna vida e o apoio esta lá do lado, sofrendo juntos para depois também juntos se alegrarem. É muito triste quando isso não acontece.

Não estive no casamento de Jó com sua esposa, mas acredito que ela também prometeu isso para o marido.
Tudo ia bem até que a mulher mais rica do Oriente perde todos seus filhos, status, empregados, riquezas e agora esta ao lado de um homem que cheira mal e esta completamente cheio de tumores.

Qual foi a posição da mulher de Jó nessa hora? Lembrou-se das promessas que ela fez a seu marido no dia de seu casamento? Vamos ver. 

“...: Ainda conservas a tua integridade? “

Ela também esta ferida, decepcionada e não tinha a mesma estrutura espiritual e emocional que o marido.
O que a mulher de Jó pensava? Será que a integridade é condicional ou temporária? O que você acha? Parece que para ela era condicional e com data de vencimento caso a fé em Deus a levasse a passar por provas.

Integridade não se condiciona ao tempo e à situação. Integridade tem a ver com a experiência, formação e compromisso com Deus independente das circunstâncias. Se ela entendia isso, não era integra para seguir servindo a Deus mesmo na adversidade.

“... Amaldiçoa e  a Deus e morre.”

Que conselho absurdo!
Uma mulher pode edificar ou pode destruir a vida do marido (o marido também da esposa).

O último apoio de quem Jó esperava ouvir algo que edificasse, ele recebe uma palavra para “acabar de matar”. É mais fácil destruir que edificar, matar que dar vida, ascender o fogo que apagá-lo.
Temos sempre dois baldes na mão, um de gasolina e um de água. Qual usaremos quando a coisa esta pegando fogo?

Quantas vezes estamos diante de situações que parecem ser o fim, que não dá mais e o conselho é “acaba com tudo”?

Aprendi que quando o diabo diz que é o meu fim, Deus esta dizendo que é meu começo. Jó lutava dentro dele dizendo: “Não, não pode ser meu fim, ainda mais dessa maneira”.

10 Mas ele lhe respondeu: Falas como qualquer doida; temos recebido o bem de Deus e não receberíamos também o mal? Em tudo isto não pecou Jó com os seus lábios.

“...: Falas como qualquer doida; ...”

Como atuamos em momentos assim?
Que conselho damos na hora que não entendemos nada e estamos sofrendo e vendo outros sofrerem?
O que fazemos quando pensamos que chegamos no fundo do poço?

O conselho da mulher de Jó era de uma pessoa que não conhecia a Deus.

A doidice ou tolice faz parte dos que conhecem a Deus superficialmente; na hora que se apresenta crises, a doidice se apresenta também com palavras e ações.

“...; temos recebido o bem de Deus e não receberíamos também o mal? Em tudo isto não pecou Jó com os seus lábios.”

Sim, mesmo estando completamente enfermo, Jó mantém sua integridade a Deus.
Que ensino para todos nós! Temos recebido o bem de Deus e não receberíamos o mal”, ou as provas?

Ele mostra que sua fé não estava nas bênçãos, nem nos bons momentos que viveu; mas na pessoa de Deus. Tudo mudou para ele, mas não sua fé em Deus e nem o Deus de sua fé.

Em tudo isto não pecou Jó com os seus lábios.

O que fazer quando você é o último e maior apoio na vida de uma pessoa?
O que fazer quando nos falta o último e maior apoio?
Ficamos com a "integridade condicional e com data de vencimento" da mulher de Jó ou com a integridade incondicional desse homem?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Nova Turma - Curso Prumo Divino