domingo, 2 de dezembro de 2012

Sermos vistos pelos homens ou por Deus



Mateus 6:1-18

Se somos vistos pelos homens, teremos a recompensa dos homens; se somos vistos por Deus, 
teremos a recompensa de Deus. JLS

O Senhor pediu para Josué (Josué 4) fazer algo que seria visto pelos homens para trazer glória a Deus, e ele obedeceu.
Não fez para ser visto pelos homens, mas para que os homens vissem o sinal das maravilhas de Deus.

O que Josué fez como ação voluntária, foi levantar 12 pedras que ficaram debaixo do Jordão depois que as águas a cobriram. Ele fez algo que os homens nunca iriam ver; mas fez com um coração voluntário, de adorador e cheio de gratidão a Deus.

Estamos dispostos a fazer coisas para Deus que os homens nunca vão ver?
Estamos dispostos a fazer coisas para Deus sem nunca receber o reconhecimento dos homens?

Em Mateus 6:1-18, observei como as pessoas religiosas nos dias de Jesus, queriam fazer as coisas para serem vistas pelos homens.
Jesus tratou de 3 assuntos sumamente relevantes sobre práticas religiosas - esmola, oração e jejum.
Essas três práticas são corretas, desde que a motivação do coração e a ação de como é feita, seja agradável a Deus.

Vamos observar o texto (Mateus 6:1-18)

ESMOLA (Mateus 6:1-4)
   
Sobre a esmola, Jesus disse que devemos nos guardar de fazer a nossa esmola “diante dos homens”; o Mestre não se referia aos homens que necessitam de nossa ajuda, mas aos homens que nos vêm dando a esmola.
Se tocamos trombeta, saímos na foto, chamamos a atenção para que todos nos vejam; então já recebemos nossa recompensa dada pelos homens.

Dar esmola é certo, mas com um coração assim, a ação é reprovada diante de Deus.


Devemos fazer de forma tão discreta e Jesus usou até a palavra “oculta”, que a mão esquerda não saiba o que a direita fez.
A recompensa virá de Deus com reconhecimento público. Ou seja, o principio do que fazemos em oculto, Deus trará à luz, também serve nesse caso.

Se ajudamos aos necessitados para sermos visto pelos não necessitados; já recebemos nossa recompensa passageira dos homens.
Se ajudamos aos necessitados para sermos vistos por Deus; recebemos de Deus a recompensa.

ORAÇÃO (Mateus 6:5-15)

Se esmola fala de ser humano para ser humano, oração é algo mais profundo do ser humano para o Ser Divino.

Aqui podemos cair em uma tremenda trampa da hipocrisia e arrogância “espiritual”, achando-nos que somos mais espirituais que os demais.  

Outra vez encontro a expressão “para serem vistos pelos homens”.
Podemos usar a oração para querer mostrar aos homens nossa “espiritualidade”.

Jesus disse que a oração é também no oculto de nosso quarto, de nossa intimidade com Deus. Quero esclarecer principalmente aos novos discípulos de Jesus, que há ensino bíblico para orar também em um culto por exemplo junto com todos os irmãos, mas ao que se refere à oração entre o filho e o Pai, refere-se a algo intimo.

Não precisamos fazer orações decoradas ou repetidas conforme o versículo 7. O que o Senhor quer nos ensinar, é que a oração é uma conversa aberta e solta com Deus e não mecânica.

É nesse texto que aprendemos a oração do “Pai Nosso”, que mais que repetir, é viver como filhos e dirigir ao Pai palavras como essas.
Não é errado repetir essa oração, mas o ensino é para um relacionamento profundo com Deus através da oração.

O perdão aos demais não pode faltar, pois se não perdoamos, teremos problemas de relacionamento com Deus.

Novamente o ensino de Jesus é que a oração, não é para ser usada para sermos vistos pelos homens e que digam o quão espirituais somos.
Oração é intimidade, tempo a sós com Deus onde seremos vistos por Ele.

JEJUM (Mateus 6:16-18)

Outra prática cristã que podemos perder a essência dela e usa-la para glória própria.
No versículo 16, Jesus ensina que não devemos fazer o jejum de forma que os demais percebam e no versículo 17 e 18, aprendemos como devemos jejuar.
Essa prática é para Deus e ainda que seja pelos homens não é para os homens.

O grande perigo da esmola, da oração, de jejum e de muitas outras coisas que podemos chamar de bom e sim é; é que podemos usar tudo isso para “sermos vistos pelos homens”.
Então a prática não esta errada e sim a intenção da mesma.

Vamos descer do palco, vamos tirar as luzes de sobre nós, vamos apontar para o Calvário, vamos mostrar Jesus.
Que nossas práticas sejam respaldadas por motivações que expressam uma verdadeira adoração a quem merece adoração - nosso Deus.

JLS

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Lucas, um cristão comprometido