sexta-feira, 5 de abril de 2013

Quando peco contra meu próximo


Números 5:5-8
5 Falou mais o SENHOR a Moisés, dizendo: 
6 Dize aos filhos de Israel: Quando homem ou mulher fizer algum de todos os pecados humanos, transgredindo contra o SENHOR, tal alma culpada é. 
7 E confessará o pecado que fez; então, restituirá pela sua culpa segundo a soma total, e lhe acrescentará o seu quinto, e o dará àquele contra quem se fez culpado. 
8 Mas, se aquele homem não tiver resgatador, a quem se restitua pela culpa, então, a culpa que se restituir ao SENHOR será do sacerdote, além do carneiro da expiação com que por ele fizer expiação.

Nm 5:5 Falou mais o SENHOR a Moisés, dizendo: 

Nesse capítulo e por toda a Bíblia, encontramos expressões assim “falou mais o Senhor”.

DEUS FALA E NÓS OUVIMOS?
O problema da comunicação entre o céu e a terra, não é do alto, 
pois Deus sempre fala; é de baixo, pois nós não O ouvimos.
Nm 5:5

O que Deus quis falar nesse texto? Sobre o problema do pecado contra nosso próximo.

1. RECONHECIMENTO

Nm 5:6 Dize aos filhos de Israel: Quando homem ou mulher fizer algum de todos os pecados humanos, transgredindo contra o SENHOR, tal alma culpada é.

“pecados humanos”

Quando encontramos expressões como essa “pecados humanos”, o que quer dizer?
Pecado não é pecado? Há diferença entre pecado e pecado?
Por que a Bíblia menciona “pecados humanos”?

Esse tipo de pecado é quando pecamos contra nosso próximo. Quando prejudicamos, ofendemos, defraudamos, etc., o ser humano.

Pensamos que machucamos pessoas ou só que pessoas nos machucam?
Choramos por causa das feridas que pessoas nos fazem, mas já choramos de arrependimento pelas que fizemos em nosso semelhante?

Ao cometer esse tipo de pecado, muito comum em todos os tempos da humanidade; criamos um problema sério de comunicação com Aquele que nos fez.
A continuação do texto diz: “transgredindo contra o SENHOR, ...” .

Então quer dizer que quando pecamos contra alguém, estamos pecando contra o Senhor. Assim de simples!

Muitos ignoram essa verdade e depois não entendem porque estão perturbados e perderam a comunhão com a terra (o próximo) e o céu (Deus).

Para complicar, entra em ação a lei da justiça; fez a dívida, agora tem que pagar. É assim em tudo na vida.
É engraçado como há pessoas que fazem problemas e argumentam essa verdade quando é aplicado a seus erros. Ninguém acha engraçado quando um desconhecido bate em nossa porta com uma dívida para que paguemos; ficamos sérios e temos que pagar.
Na "lei dos relacionamentos" é igual.

A continuação do versículo diz: “tal alma culpada é.”

Isso é claro: A culpa é nossa e não do outro. Temos o costume de culpar os demais pelos erros que cometemos.

BODE EXPIATÓRIO
Gostamos de procurar um “bode expiatório” para nossos problemas, quando na verdade, deveríamos reconhecer que somos nós que devemos levar nosso orgulho e egoísmo para o “altar do sacrifício”.
Nm 5:6

“Bode expiatório” é uma expressão antiga que os judeus usavam quando sacrificavam um animal por causa do pecado do ser humano.
A culpa do homem era transferida para o animal e havia o sacrifício onde essa oferta era aceita diante de Deus e o pecado ficava coberto.

Essa expressão transcendeu o tempo e chegou até nós de forma muito conveniente.
Quando queremos isentar-nos de algum erro que cometemos ou de alguma situação que em conseqüências de nossas atitudes, estamos sofrendo; procuramos um “bode expiatório” para colocar a culpa e ficarmos como a vítima. 

Deus chama a cada um à sua responsabilidade nas conseqüências de seus atos.
Seremos culpados se pecados e livres se não pecamos.

Nahum 1:3
O SENHOR é tardio em irar-se, mas grande em força e ao culpado não tem por inocente; ...

Por isso é melhor ir concertar o que está errado!

Mateus 5:23-25
23 Portanto, se trouxeres a tua oferta ao altar e aí te lembrares de que teu irmão tem alguma coisa contra ti, 
24 deixa ali diante do altar a tua oferta, e vai reconciliar-te primeiro com teu irmão, e depois vem, e apresenta a tua oferta. 
25 Concilia-te depressa com o teu adversário, enquanto estás no caminho com ele, para que não aconteça que o adversário te entregue ao juiz, e o juiz te entregue ao oficial, e te encerrem na prisão.

Não é ir diante de Deus somente, mas primeiro à pessoa que pecamos. Temos que reconhecer isso se queremos sair do estado espiritual, emocional e até físico que podemos ter entrado.

2. CONFISSÃO E RESTITUIÇÃO

Nm 5:7 E confessará o pecado que fez; então, restituirá pela sua culpa segundo a soma total, e lhe acrescentará o seu quinto, e o dará àquele contra quem se fez culpado. 

Só é possível confessar quando há reconhecimento do erro.

Confessar nosso pecado para a pessoa que pecamos, trás cura.

Tiago 5:16 Confessai as vossas culpas uns aos outros e orai uns pelos outros, para que sareis; a oração feita por um justo pode muito em seus efeitos.

Por que a comunhão é afetada?

1. Pecamos uns contra os outros e não confessamos.


2. Se chegamos a confessar, não restituímos o prejuízo do pecado cometido.


O que fazer?


1. Confessar o pecado para a pessoa que foi prejudicada.


Reconhecer e confessar é fundamental, mas não é tudo.
Quando chegamos nesse ponto, ainda não é o final e temos que cumprir a terceira etapa do princípio dessa lei.

2. Devolver tudo e pagar mais um quinto para a pessoa que foi prejudicada.

Na “psicologia dos relacionamentos”; se prega que se você disser uma palavra negativa ou ofensiva para uma pessoa; para restituir o prejuízo, é necessário dizer quatro vezes palavras positivas e que edifica.


Caso de Zaqueu:

Lucas 19:8, 9
8 E, levantando- se Zaqueu, disse ao Senhor: Senhor, eis que eu dou aos pobres metade dos meus bens; e, se em alguma coisa tenho defraudado alguém, o restituo quadruplicado
9 E disse- lhe Jesus: Hoje, veio a salvação a esta casa, pois também este é filho de Abraão.

Ele entendeu que dar a metade dos seus bens aos pobres não era suficiente. Era necessário uma justa restituição.

Um exemplo de uma justa retribuição:

Se defraudei uma pessoa e ela teve um prejuízo de 200 euros, devo restituir 800 euros (4x) + 200 euros (1 quinta parte) = 1.000 euros. É! Isso é justo na restituição.

É o que podemos chamar de juros e/ou multas da dívida.
Quando alguém tem uma dívida e não paga, fica correndo juros e quando for pagar nunca é o valor da dívida, mas muito acima. Esse princípio rege também nos relacionamentos e na restituição.

Número 4 na Bíblia


Supõe-se que o número quatro é o que representa a terra.
O Número 4 dá a idéia de representar o controle absoluto de Deus sobre o planeta.

As 4 direções na terra (norte, sul, leste e oeste). 

As 4 estações (verão, outono, inverno e primavera). 
Os 4 elementos que compõem o universo (tempo, energia, espaço e matéria). 
As 4 principais provisões para homem (terra, ar, fogo e água). 
As 4 divisões do dia (manhã, meio-dia, tarde e meia-noite).

Pensando sobre isso, entendo que é necessário resolver todo e qualquer conflito com nosso semelhante nessa terra; onde quer que estejam.
Um telefonema, uma carta, ir pessoalmente ao encontro da pessoa, reconhecendo, confessando e restituindo o dano causado quatro vezes e acrescentando uma quinta parte.

Número 5 na Bíblia

Mostra a fragilidade humana e a graça divina.

Quando reconhecemos, confessamos e restituímos a pessoa que foi prejudicada, acrescentando uma quinta parte, manifestamos nossas limitações e fragilidade, mas também a graça de Deus em ter a humildade de fazer isso e buscar uma reconciliação.

3. PROFUNDIDADE DA RESTITUIÇÃO

Vamos aprofundar um pouco mais, pois é essa a direção do versículo 8. 

Números 5:8 
Mas, se aquele homem não tiver resgatador, a quem se restitua pela culpa, então, a culpa que se restituir ao SENHOR {será} do sacerdote, além do carneiro da expiação com que por ele fizer expiação.

“Mas, se aquele homem não tiver resgatador, a quem se restitua pela culpa ...”

“resgatador” גאל ga'al 
Redimir (através de pagamento), agir como parente resgatador, vingar, reivindicar, resgatar, fazer a parte de um parente, cumprir a parte de parente mais próximo,

O contato com a pessoa prejudicada, pode ter-se perdido ou a pessoa prejudicada pode ter morrido. Nesse caso, o versículo 8 ensina que deve-se procurar um contato (resgatador) familiar.

Se prejudiquei um filho e não tenho como restituir o prejuízo a ele por não o encontrá-lo mais, devo procurar o pai, a mãe, um irmão ou um parente e fazer a restituição.
Mas, se o prejudicado não tiver nenhum parente próximo para receber a restituição, devo procurar a Deus através de um pastor ou líder espiritual comprometido com a Palavra para reconhecer, confessar e restituir. 

Nm 5:8 “... então, a culpa que se restituir ao SENHOR {será} do sacerdote, além do carneiro da expiação com que por ele fizer expiação.”

Duas coisas importantes:
  1. Pagamento (4 x + um quinto) = confissão, restituição.
Isso quer dizer que há um preço que tenho que pagar para nossa comunhão.
Só dizer desculpa não é suficiente, segundo esse princípio.
  1. Um carneiro (morte, sangue) = para perdão do pecado diante do Senhor. 
Há um preço para nossa comunhão que não podíamos pagar e Jesus pagou com Seu sangue.

Que o Senhor nos ajude a entender a grandeza dessa revelação e colocar em prática e ver nossas vidas livres de sentimentos de culpa, de bagagens pesadas e de relacionamentos quebrados.

Faça sua parte (4x) e Ele entrará com Sua graça (a quinta parte) para lhe ajudar nisso.

JLS

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Salmos 23 para os missionários

Clique aqui para assistir o vídeo