terça-feira, 11 de março de 2014

DEUS - Existência de Deus (Doutrinas Bíblicas)


EXISTÊNCIA DE DEUS

A Bíblia nunca procura provar a existência de Deus com argumentos; ela simplesmente afirma o fato da Sua existência como uma realidade auto-evidente e como crença natural do homem.

Os que acreditam em Sua existência

Hebreus 11:6
Ora, sem fé é impossível agradar- lhe, porque é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que ele existe e que é galardoador dos que o buscam.

A base da experiência humana é acreditar que Deus existe.
Negar essa verdade ou viver como se Ele não existisse, é o mesmo que negar o que todos sabem de maneira intuitiva.

Romanos 1:19
porquanto o que de Deus se pode conhecer neles se manifesta, porque Deus lho manifestou.

Os que não acreditam em Sua existência

Salmos 14:1
Disseram os néscios no seu coração: Não há Deus. Têm- se corrompido, fazem- se abomináveis em suas obras, não há ninguém que faça o bem.

Se o homem abandona o pensamento sobre a existência de Deus que é algo tão fundamental, ele abraça a irracionalidade, onde nada tem signifi­cado ou propósito.

O homem, acreditando ou não na existência de Deus, não altera em absoluto o fato de Sua existência.

Estas palavras não implicam em dizer que Deus não existe, mas sim que Ele não está na agenda, nos pensamentos, nos negócios e na vida das pessoas que fazem tal declaração.

Por essa razão os homens se corromperam fazendo obras abomináveis.

O ateísmo e o humanismo que negam a Deus, não são construções intelectuais, mas sim idéias espirituais expressando a necessidade de conhece-lo.

Provando a existência de Deus

Deus não pode ser provado ou desaprovado segundo o argumento da filosofia ou ciência.
Para conhecer a Deus tem que haver uma revelação espiritual, a qual é recebida pela fé.

Cinco argumentos filosóficos principais para a existência de Deus

Desde a era medieval, alguns argumentos sobre a existência de Deus tem sido apresentados.
Mesmo sendo limitados, juntos provêem o apoio intelec­tual suficiente para corroborar com a verdade da Bíblia.

Esses argumentos não provam que Deus existe; somente mostram que nossa crença nEle é lógica e razoável.
Estes argumentos não são conclusivos, porém tem um valor considerável levando a crença em Deus uma consistente e boa lógica em vez de ser algo turvo e sem sentido.

1. Argumento ontológico

Ontológico - Vem de ontologia que é a teoria metafísica (Doutrina da essência das coisas) do ser (existência).

Argumenta a idéia de que um Ser Perfeito implica numa existência real. A idéia de um Ser Perfeito que não se manifeste genuinamente na realidade, pressupõe que este Ser não seja totalmente perfeito. Por conseguinte, para se conceber um Ser Perfeito, é necessário se acreditar que este Ser Perfeito realmente exista e esse é o argumento do "ser".

Esse argumento é aceito pelo homem no geral.

O conceito humano geral do próprio Deus subentende que Ele de fato existe.

Eclesiastes 3:11
Tudo fez formoso em seu tempo; também pôs o mundo no coração deles, sem que o homem possa descobrir a obra que Deus fez desde o princípio até ao fim.

RA aparece "pôs a eternidade no coração do homem"

"eternidade" עולמּ `owlam ou עלמּ `olam = longa duração, antigüidade, futuro, para sempre, para todos os tempos, perpétuo, velho, antigo, mundo, tempo antigo, longo tempo (referindo-se ao passado ou futuro), para sempre, existência contínua, perpétuo, contínuo, futuro indefinido ou sem fim, eternidade.

Romanos 2:14, 15
14 Porque, quando os gentios, que não têm lei, fazem naturalmente as coisas que são da lei, não tendo eles lei, para si mesmos são lei, 
15 os quais mostram a obra da lei escrita no seu coração, testificando juntamente a sua consciência e os seus pensamentos, quer acusando-os, quer defendendo.

2. Argumento cosmológico

Cosmologia - Ciência das leis que regem o universo.

O universo não existe por si mesmo. 
Todos os even­tos que presenciamos dependem de alguma causa além de­ nós mesmos. 
Buscando a origem dessas causas primei­ras, eventualmente chegaremos à Primeira Causa: um Ser auto-existente que não depende de qualquer outra coisa, além de si, para existir.

A própria existência do mundo, o cosmos, aponta para a "primeira causa", ou a um criador, que o levou à existência.

Gênesis 1:1
No princípio, criou Deus os céus e a terra.

Colossenses 1:16
porque nele (Cristo) foram criadas todas as coisas que há nos céus e na terra, visíveis e invisíveis, sejam tronos, sejam dominações, sejam principados, sejam potestades; tudo foi criado por ele e para ele.

3. Argumento teleológico

Teleologia - Teoria que explica os seres, pelo fim a que aparentemente são destinados.
Esse é o argumento do desígnio (Intenção.projetoplanopropósitovistas). 

O mundo maravilhoso descoberto pela inquirição científica desvenda uma notável e espantosa ordem em toda a natureza. As improbabilidades matemáticas de todas estas maravilhas te­rem ocorrido por mero acaso, leva-nos a enaltecer aquEle que é o autor de quanto vemos e admiramos. 

Salmos 19:1
Os céus manifestam a glória de Deus e o firmamento anuncia a obra das suas mãos.

Presença de "telos", do plano e propósito no universo, aponta para um arquiteto que o planejou.

Isaías 45:18
Porque assim diz o SENHOR que tem criado os céus, o Deus que formou a terra e a fez; ele a estabeleceu, não a criou vazia, mas a formou para que fosse habitada:Eu sou o SENHOR, e não há outro.

Efésios 3:8-11
8 A mim, o mínimo de todos os santos, me foi dada esta graça de anunciar entre os gentios, por meio do evangelho, as riquezas incompreensíveis de Cristo 
9 e demonstrar a todos qual seja a dispensação do mistério, que, desde os séculos, esteve oculto em Deus, que tudo criou; 
10 para que, agora, pela igreja, a multiforme sabedoria de Deus seja conhecida dos principados e potestades nos céus, 
11 segundo o eterno propósito que fez em Cristo Jesus, nosso Senhor,

4. Argumento moral

O senso humano de moralidade indica um governante moral do universo.

Fomos criados por um Ser moral e naturalmente refletimos a imagem de moralidade ou ao menos temos o conceito dentro de nós como seres humanos.

Gênesis 1:26
E disse Deus:Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança; e domine sobre os peixes do mar, e sobre as aves dos céus, e sobre o gado, e sobre toda a terra, e sobre todo réptil que se move sobre a terra.

Ele apresenta-se como o senso inato do que é certo e do que é errado. Que ser humano não o possui? A realidade de um grande Legis­lador é a evidência mais que lógica da vida moral de nossa consciência. 

Embora os padrões de moralidade variem lar­gamente de cultura para cultura, a consciência dos valores morais permanece intacta.

5. Argumento da beleza

Todas as pessoas possuam um conceito de valores relativos acerca da beleza (por mais largamente que variem seus padrões), é algo que aponta na direção de alguém que, em si mesmo, é o doador da beleza.

Além de todos esses e outros argumentos filosóficos sobre a existência de Deus, temos Sua Palavra que confirma que Ele existe e através de Jesus podemos conhecer a esse Deus maravilhoso.

João 1:14
E o Verbo se fez carne e habitou entre nós, e vimos a sua glória, como a glória do Unigênito do Pai, cheio de graça e de verdade.



JLS

Bibliografia:

* Bíblias RC e RA

* Conhecendo o Pai (Espada do Espírito) - Colin Dye
* Doutrinas Bíblicas - William W. Menzies e Stanley M. - CPAD

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Lucas, um cristão comprometido